[ editar artigo]

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

Tenho uma história completa, sei que sou formada de duas.

Foto do casamento do meus avós maternos:

Magina Borges da Silva e José Ferreira da Silva, atrás deles seus pais.

Queridos antepassados,

Vocês que guardam minhas costas, me dão tanta força, quero agradecer a cada um de vocês.

Chego aqui sabendo tudo de uma família, e nada de outra. Com isso, sinto o desequilíbrio e uma saudade cheia de curiosidade. Só tenho uma carteira de trabalho para desvendar tudo.

- Pai! Quando achei a carteira nas coisas da mãe fiquei muito feliz e emocionada. Uma prova viva da sua existência... sua assinatura. Você poderia me perguntar – E as fotos? Eu tenho várias mais sua letra me tocou o coração foi como se tivéssemos sido apresentados naquele momento.

Na mesma hora, tirei uma foto e enviei para os irmãos. Conversamos pelo whatsApp, sobre isso, e cada um sentiu com seu coração. A Mery, te conheceu e falou mais de você.

Peguei as fotos e matamos a saudade que eu nem sabia que tinha. O Zé, se atentou para o nome da vó Maria Ferreira de Jesus, que não tem o sobrenome do vô Abílio, por que será?? Uma mulher, naquela época, com filhos, dois, sem estar casada? Vó, pensei na sua dor, na sua vergonha, e meu coração ficou triste.

Já com Vô Abílio Antônio Rodrigues tenho outra emoção, pois nos conhecemos numa constelação. Me deu colo, brincou comigo com carinho, apesar de sentir que foi um homem de poucas palavras. E tudo termina aí , pai, só até aí.

Já você mãe, mulher forte, guerreira, de muita fé, me conhecia com a palma da mão, buscando você no meu coração sinto sua dor.

Casou-se com 27 anos, por que ajudava a criar os 09 irmãos de 15, cheia de sonho para um casamento, não foi feliz, já que o pai não tinha juízo e você também teve dois abortos perdeu sua primogênita com 7 aninhos. Não sei como você não enlouqueceu! ... Sei sim! Foi sua fé e os teus três filhos, aliás, você sempre falava isso:

- Vocês são minha vida!

Mãe, filha da vó Magina e José Ferreira, que se casaram por um arranjo do bisavó, vocês só tinham algo em comum; eram pessoas de muita fé. Morando com vocês, depois que a mãe se divorciou do pai.

Nunca vi vocês se olharem com carinho. Que vida! Até que vocês também se separaram e ficamos só nós! Ser criada por você e a mãe foi muito especial! Sei que o vô não foi fácil! Homem honesto, trabalhador e até professor, era um homem da época, que se orgulhava dos nascimentos de filho homem, e ficava sem falar com você quando nascia uma filha mulher.

Vô! Sei que você perdeu sua mãe muito cedo e que sua madrasta o criou junto com seus irmãos, tios, avós queridos, que conheci alguns. Já você, vó, que gostava de ajudar, manipulava os remédios homeopáticos, era uma benzedeira de muita força. Era muita coisa para você, né?

Lembro de você falando que você não queria casar. Só ajudar os outros. Filha da Mariana e Sr. Antônio com uma história de amor que dava até um livro ou novela com um final não muito feliz.

Bisa, a Mariana, que fugiu da casa dos pais, fazendeiros, para se casar com o filho da escrava da casa (filho este que foi liberto na lei do ventre livre). Foi deserdada por isso, mais fez as pazes com o pai mais tarde que frequentava sua casa e terminou cuidado pelo genro preto no final da vida. Lindo! Amo esta história, se o biso não tivesse traído a bisa com sua irmã.

Veja só! As duas famílias chegaram no Brasil de navio – um negreiro e outro da corte. Sim, a vida de vocês dava um livro, uma novela.

Mas é a nossa história e eu honro e agradeço vocês por tudo isso.

Eu amo vocês! Eu vejo vocês! Eu sou em pouquinho de vocês!

Lucymar

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Lucymar Aparecida Rodrigues Lima
Lucymar Aparecida Rodrigues Lima Seguir

Um sonho que está realizando.

Ler conteúdo completo
Indicados para você