[ editar artigo]

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

Meus queridos antepassados:

Primeiramente eu gostaria de agradecer a vida e tudo que vocês prepararam para que eu pudesse usufruir dela.

Sinto muito por demorar tantos anos para me aproximar de vocês, talvez eu nunca tenha olhado verdadeiramente para vocês, meus queridos antepassados. Passei tanto tempo lutando contra minhas dores, e nunca parei para pensar o que elas queriam me dizer.

Desde o ano passado estamos enfrentando uma pandemia mundial de uma doença causada por um vírus, que se iniciou na China. Tivemos que mudar nossos hábitos, nos recolhemos em nossas casas e assim tive tempo para olhar para mim e então me dei conta que não conhecia muito a minha própria história. Algo tem me impulsionado a olhar para trás, pois somente assim consigo crer num futuro melhor.

Olhando para trás me lembrei de você, querida bisa e de todos nossos antepassados indígenas e de quantas doenças os europeus nos trouxeram que também ameaçaram nossas vidas.

Lembrei de você vovô pela cor linda de sua pele, é certo que temos antepassados africanos. Pelo ano que você nasceu, muita dor, querido vovô você deve ter presenciado a época da escravidão. Quanta privação da liberdade vocês também tiveram que suportar. Deve ser por isso que me sinto tão mal ao ver filmes de escravos negros sendo violentados.

Mas vocês se casaram com pessoas provavelmente de origem europeia, creio que isso tenha liberado o perdão a algumas dessas histórias de dor, pois sempre acolhi tão bem Portugal em meu coração.

Hoje eu sinto como foi difícil para vocês meus queridos antepassados ficarem longe das pessoas que vocês realmente amavam.

Nossa quantas coisas vocês passaram para preparar o caminho pra mim, e como eu lhes disse, olhei tão pouco para vocês, me perdoem.

Mas agora que eu sei, nunca mais vamos nos separar. Acolho cada um de vocês; índios, africanos e europeus. Todos estão em meu coração e para onde eu for os levarei comigo.

Sinto muito por tanto tempo não enxergar suas lutas, suas dores, suas conquistas e não ter lhes prestigiado com meu amor, minha admiração e minha gratidão.

Mas hoje eu sei, eu vejo vocês e os recebo em meu coração. Amo todos vocês, com o amor mais puro e fraterno que possa existir. Sou grata.

Assim encerro essa carta, sem despedidas, pois apesar de seguir minha vida, minhas escolhas, minha jornada, como eu disse, vocês estarão eternamente comigo guardados em meu coração.

Amo vocês, gratidão!

Da pequena Heloise Henriques Pereira Greghi

Last summer day ... | Daisies

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você