[ editar artigo]

COMO DEVE SER A CONSTELAÇÃO EM GRUPO?

COMO DEVE SER A CONSTELAÇÃO EM GRUPO?

            Para realizar a constelação em grupo, é preciso preparar o campo e colocar as pessoas para observa lo. E como preparamos o campo?

            Com meditação, música, uma prece, um mantra.

            E como devemos nos preparar para o “estado de presença” necessário para conduzir a constelação em grupo?

            Primeiro de tudo, se amar!! Se presentear com mimos, fazer meditação, estar bem, cuidar da alimentação, praticar uma atividade física, uma dança ou algo que nos realize e nos deixe feliz.

            E o mais importante, cuidar da nossa energia. Como cuidamos da energia?

            Não falar palavrões, fugir de fofocas e mentiras.

Cuidar com o que assiste ou ouve, porque vibramos na energia que entramos em contato;

Não se intrometer na vida alheia, só participar se puder ajudar;

Reservar um tempo de silêncio para acalmar nossos pensamentos e o coração, não precisamos estar em contato com as pessoas o tempo todo.

Jejuar e cuidar da alimentação, estômago cheio altera nossas emoções, pois o intestino é nosso segundo cérebro.

Posso constelar qualquer pessoal?

Sim!!! Desde que sejamos capaz de dar um espaço no coração para essa pessoa, sem julgamento.

Qual nossa postura de acolhimento na hora de iniciar a conversa com nosso constelado?

Deve ter amor e questionar com empatia da seguinte forma: Como saber qual tema e o que realmente está acontecendo? O que te traz aqui? Qual é os eu sofrimento? Qual a sua intenção?

As informações epigenéticas vem da aonde?

O campo informa, ao adentrar no movimento do campo, reverbera o essencial, situações que não foram resolvidas no passado ou que estão em segredo, mas que precisam ter um olhar de compaixão, amor e cura pelo sistema.

Quem irá participar da constelação em grupo? Como ler a gramática da constelação?

Um grupo formado pelos colaboradores e pelo paciente, que irá colocar o tema. O moderador deverá observar a postura das pessoas que estão envolvidas e fazer intervenções, com linguagens claras e empatia nas ideias.

Como encerramos uma constelação?

Com uma meditação de agradecimento a todos que participaram, saudando nossas crianças interiores, aos nossos pais, com palavras de aceitação, mesmo assim nós nos amamos.

Em qual constelação peguei carona?

Na constelação da nossa querida colega Mayara, em que apresentava a queixa que trabalha e não conseguia guardar dinheiro com sentimento de escassez, com a intenção de viver sem medo.

Algumas sintomas foram descritos pelos participantes do grupo, como coceira, dor nas costas (suicídio por envenenamento), água no ouvido (segredo e trauma intenso), sentimento de vida curta (suicídio do irmão da vó), arrepios (abortos). A constelada tinha origem cigana e portuguesa.

Houve a intervenção com as frases e a música vinha verde de Portugal, a canção acalmou os corações de quem estava assistindo.

A mestre Olinda pediu para que ela tomasse um floral, fizesse aulas de dança cigana, pesquisasse sobre terapia neural veterinária para trabalhar.

Como reverberou em mim?

Senti dor nas minhas costas, arrepios e sensação de choro, pois no meu sistema familiar tem histórico de abortos maternos e paternos, suicídio dos dois lados, orfandade paterna e famílias em que as mulheres tiveram que tomar a frente e prover o sustento, mesmo tendo os maridos.

Paz e amor nos nossos corações.

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você