[ editar artigo]

CONSTELAÇÕES ÉPICAS: RESGATE DO SENTIDO DE VIDA

CONSTELAÇÕES ÉPICAS: RESGATE DO SENTIDO DE VIDA

As constelações épicas são uma abordagem criada pela mestra Olinda. Dizem respeito àqueles temas que são divisores de água na vida das pessoas. Temas de vida e morte.

Por isso, a sua abordagem deve se dar de forma muito responsável, amorosa e sem julgamentos. E mais, a pessoa deve sentir confiança no terapeuta e sentir que este pode ajudá-la a resgatar o seu sentido de vida. Porque temas de vida e morte tiram o sentido de vida das pessoas. Elas se veem imersas num sofrimento e num vazio que, na maioria das vezes, não entendem de onde pode vir.

Tem-se como exemplo os abortos, tanto os provocados quanto os espontâneos. Os abortos provocados podem gerar dificuldades de dormir. Os adultos ficam vigilantes e as crianças costumam ter pesadelos. Isso pode se dar em nível de memória pessoal ou transgeracional, isto é, ter ocorrido com algum antepassado do sistema familiar.

Também pode existir um medo de morrer subitamente. É outro sintoma dos abortos provocados. A vida é o bem mais importante que temos e quando lidamos com questões que ameaçam ou tolhem esse direito, as consequências são impactantes.

Ainda mais quando achamos que temos livre escolha sobre a vida e a morte das pessoas. Não temos essa liberdade, como bem lembra a mestra. E quando mexemos nessa esfera, as consequências são realmente traumáticas. Constelações épicas lidam com questões traumáticas. De novo aqui ressalto a nossa pequena liberdade diante da vida, que se limita a assentir com a realidade, a dizer SIM.

Quando nos rendemos à realidade da vida, os milagres acontecem. Milagres estão em sintonia com a vida. Quando escolhemos a vida, escolhemos viver milagres o tempo todo. E aquilo que outrora se via ou imaginava como algo problemático para nós, como uma gestação não planejada ou não desejada, num primeiro momento, pode, posteriormente, nos render belos frutos e uma força e um brilho que não enxergávamos antes. O amor é o que nos permite dizer SIM para a vida.

Ademais, abortos espontâneos podem provocar melancolias, uma sensação de vazio, como a falta de alguma coisa ou a sensação de solidão e de não ser notado. Ao perceber os sintomas, o terapeuta pode intervir com exercícios que remetam a pessoa a dar lugar às crianças não nascidas, a talvez lhes dar nomes, a ver-lhes quando, em algum momento, alguém não quis fazer isso.

É uma intervenção muito bonita e cheia de pertencimento. Sim, o pertencimento é uma forma de a pessoa recuperar o amor pela vida, o sentido de vida.

Também algo que faz parte de um tema de constelações épicas é a automutilação de crianças. Elas podem captar a informação do campo familiar de que outras crianças não têm permissão para nascer, por exemplo. De que sua mãe ou outra mulher pretende usar medicamentos que impeçam a gravidez de acontecer.

Ainda que um aborto efetivamente não tenha ocorrido, a informação abortiva pode ser captada por uma criança e esta sentir que a vida está em perigo naquele sistema. Essa informação pode ser presente ou futura.

E como saber se o que presumimos é mesmo o que está acontecendo? Podemos trabalhar com uma métrica: se proposta uma intervenção, um exercício ou dinâmica para a situação e houver uma melhora na criança ou na pessoa, é um sinal de que se tratava daquilo mesmo. Precisamos ter cuidado ao afirmar as coisas e defender pontos de vista de forma categórica.

O profissional precisa analisar e trabalhar com uma premissa, fazendo intervenções e observando o que acontece. E no campo das constelações épicas isso é bastante importante, pois trata de aspectos, como já afirmado, inerentes ao sentido de vida das pessoas. Ajudá-las a recuperar esse sentido requer amorosidade, mas acima de tudo, bom senso e cautela.

Constelações épicas são oportunidades de olharmos para além do aparente e ter em mente que a solução pode custar a chegar, mas que estaremos sempre dispostos a fazer o melhor que pudermos, não importam quantas sessões ou quanto tempo de terapia e intervenção sistêmica isso possa levar.

Se é uma oportunidade de cura para o cliente, certamente o é para nós, de alguma forma. Não só o cliente busca retomar o sentido e controle da sua vida, mas nós, provavelmente, sentiremos o sentido do nosso trabalho, daquele tempo que passamos com ele e de cada uma das intervenções que fizermos.

 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você