[ editar artigo]

CONSTELAÇÕES ÉPICAS - BREVE RELATO DO CURSO COMO UM TODO

CONSTELAÇÕES ÉPICAS - BREVE RELATO DO CURSO COMO UM TODO

As constelações épicas criadas pela Professora/Mestra Olinda Guedes surgem através de uma abordagem sistêmica, na condição do amor, transformação, sabedoria divina e atuando de maneira intensa em temas difíceis ligados com o início da vida e com a morte, acolhendo as angustias e suas soluções e as dores do mundo em um todo.

Segundo Olinda, as constelações épicas é fundamenta no perdão, sem cunho religioso, mas com a visão filosófica justificada em um trabalho maravilhoso aplicado através da observação, verificada no campo, dentro de uma estrutura do não julgar e na empatia.

Sendo assim, temas de vida e morte são divisores de aguas dentro do sistema da constelação épicas e exigem do constelador reconciliação consigo e aos demais, disposição para fazer oque e necessário, cuidado ao falar de vida e morte, pois existe muita culpa, muito ressentimento e se trata sobre temas traumáticos.

Cabe lembrar que não somente os filhos mostram aquilo que os pais guardam em seus corações, mas uma mulher  também pode apresentar ou estar em ressonância com os filhos abortados,  ao sentir  dores fortes em seu corpo e ate mesmo ter fibromialgia.

A forma como se lida com o aborto deve ser levado em conta. A cura ocorre através do movimento sistêmico, fazendo o reconhecimento, ou seja, a inclusão, a ordem e esses abortos serem vistos.

No entanto, crianças que nascem com dois anos de diferença entre um e outro são considerados sistêmicos/sintonia com o irmão que nasceu antes ou depois.

Pode ocorrer relacionamentos disfuncional entre irmãos, relação abusiva, os amigos imaginários, ciúmes, melancolia, vazio, desejo de morrer, sentimento do existir, mas, ao mesmo tempo sentimento de “não ser visto”, filhos inquietos, parece que sempre está procurando por algo ou por alguém. São algumas maneiras de manifestar a exclusão dentro de um sistema.

Intencionalmente ou não, o sentir ou o expressar dos pais para com o filho, o qual possa nascer com qualquer deficiência física ou intelectual acarreta em dores e sofrimento ao sistema, portanto todos precisam ser incluídos. 

Abortos provocados e/ou espontâneo, estes também ignorados, segredos familiar, crianças não nascidas, filhos ignorados que não ganharam seu/um lugar no sistema são um dos grandes sofrimentos da humanidade.

Também quero deixar aqui um breve relato sobre o curso como um todo.  Tenho um enorme privilegio e gratidão em ter participado de um curso tão rico em conteúdo e ser ministrado por esse ser iluminado, nossa Mestra Olinda Guedes.

Vale ressaltar que não existem palavras que definam o quanto sou grata pelo conhecimento adquirido.

Compreende-se que o atendimento ao paciente/cliente é subjetivo e único, bem como o desfecho nos processos terapêuticos, mas que nossa formação como terapeutas é continuada e pautada na promoção da humanização, da dignidade e do respeito para busca da melhora do sofrimento humano.

 Entretanto, o que está instituído e cristalizado pode ser desacomodado e desnaturalizado, dando espaço para novas formas de conviver e perceber a realidade que nos cerca. 

Estar sempre atento, as memorias traumática pessoal ou transgeracional, assim nos desacomodar e olhar para a vida como nosso bem mais precioso, e que ainda temos  a liberdade, e o poder da escolha, a escolha em dizer Sim.

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você