[ editar artigo]

MÓDULO 3 - MEUS PAIS, NOSSA VIDA

MÓDULO 3 - MEUS PAIS, NOSSA VIDA

Minha Mãe Zulmira Souza Santos, casada com meu Pai Lourival Gonçalves dos Santos, juntos levavam uma vida na roça.

Tem sete filhos, onde cinco são homens e duas são mulheres, criaram ambos trabalhando em casa e na roça, nós filhos fomos para a lavoura desde pequenos, onde os mais novinhos ficava na sobra da arvore e o mais próximo cuidava e dava mamadeira, alguns deles até bebia o leite do outro

Conforme os filhos iriam crescendo ia ajudar na lida também, assim que cada um ia adquirindo idade para os estudos, iam para a escola, há! como era gostoso ir para escola, e os matérias no inicio do ano era um sonho. antes dos estudos tínhamos a tarefa da roça e após os estudos tinha o da roça e da escola, mesmo assim era muito bom.

Levantávamos cedo as mulheres ajudavam nos afazeres de casa e os homens ia para o curral tirar leite, as sete o leite estava tirado e o almoço pronto, e ai iríamos para a roça todos juntos, uma hora antes de começar os estudos, íamos para casa tomava banho e ir para escola. Nosso momento na escola era quando nós descansávamos e brincávamos com os coleguinhas.

Para o trabalho não tinha sábado, domingo e nem feriado, todos os dias era dia de trabalho, mesmo com os afazeres nós irmãos sempre arrumava um tempinho para brincar, algumas vezes os nossos pais iam visitar minhas tias, e nos aproveitávamos para brincar com os primos de barata, esconde esconde, balança caixão, etc...

O mais difícil era quando minha Mãe parava com os afazeres e sentava para descansar, muitas vezes ela travava e não conseguia levantar por que tinha reumatismo, ai ela só melhorava quando o farmacêutico aparecia e aplicava injeção.

Meus pais não namoravam, um belo dia, meu pai recebeu o convite de um primo para ir passear em Ceres Goiás, chegando lá meu vô por parte de Mãe se encantou com meu pai e logo convenceu meu pai se casar com minha mãe, e com pouco tempo eles se casaram e vieram juntos para a casa do meu avô por parte de pais, por que meu pai não tinha nada , nem uma cama de casal.

Chegando lá meu pai procurou em construir uma cama de Tarimba e naquele ano trabalharam muito e com a renda do trabalho compraram um sitio e assim foram viver só.

Minha Mãe era muito trabalhadeira, meu pai sempre falou que ela trabalhava para três pião, ninguém conseguia acompanha-la.

Na adolescência do meu pai andava 70km a cavalo para namorar uma prima, mas como ele só podia ir vê-la uma vez por mês, um belo dia chegando lá um outro primo veio ao seu encontro e disse que ela estava namorando um outro primo, ele ficou tão desgostoso que voltou embora sem falar com ela.

Até alguns anos atrás ele tinha a curiosidade de procura-la para saber o por que dela ter desistido dele, já que eles combinavam tão bem se até comia num prato só, mas desistiu por que achou quem não faz mais sentido.

Minha Mãe trabalhava muito para meu avô, ela era seu braço direito, quando ele viajava a cavalo que ficava vários dias fora, deixava ela como responsável da família, sua infância foi trabalhar. Seu pai quando jovem, namorava uma moça e um dia resolveu chamar ela para fugir e com isso construir uma família , a mesma se recusou, então chamou sua irmã mais nova de 12 anos , e a mesma aceitou.

Minha vó era tão nova que nós netos chama ela de madrinha, não de vó.

Hoje vejo que as histórias veio se repetindo, amores não correspondido, casamentos por convivências, e não por amor...Ouvi muito esse ditado na família "o amor surge com o tempo de convivência", já que o mesmo é para a vida toda.

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Dirce Goncalves Dos Santos
Dirce Goncalves Dos Santos Seguir

Alegre, dinâmica ao encontro da criança interna.

Ler conteúdo completo
Indicados para você