[ editar artigo]

O AMOR, A MISERICÓRDIA E A BONDADE DO UNIVERSO CURA.

O AMOR, A MISERICÓRDIA E A BONDADE DO UNIVERSO CURA.

Cada família é diferente.

Cada uma tem sua dor e seus desafios na vida.

Os sofrimentos formam os emaranhamentos que podemos constelar por quatro gerações para a cura.

Como por exemplo, sofrimentos carregados através do tempo que a própria antropologia explica comportamentos que levam ao sofrimento exemplo: a cultura machista.

Para que você possa sentir e transformar isso questione-se:

  • Qual era a ordem de sua família?
  • O que eles esperavam que você fizesse para ser amada?
  • Como os antepassados reagiam a figura feminina?
  • Você faz parte de um sistema machista?

Como terapeuta precisamos ser sempre empáticos.

Sentir a luta e o sofrimento desse ser nesse sistema, e que o quanto o cliente lidou com suor e sangue essa lealdade.

Partamos do princípio que nenhum ser humano suporta a exclusão. E como vivemos em bando, a lealdade vem primeiro à família e depois a felicidade.  

Pertencemos a nossa família de origem e das memórias transgeracionais do nosso sistema.

Fazemos tudo para pertencer, acreditando que é a felicidade, mas quando sentimos que há uma memória epigenética de dor , nos curamos, e curamos todo o sistema.

  • O que você já fez pelo seus pais antes da felicidade?

Sempre acreditei em minha mãe, quando falava que se meu pai pudesse, colocaria as três filhas mulheres, em uma redoma de vidro para que ninguém tocasse.

Só fui em busca da minha felicidade nessa conduta machista do meu pai, quando comecei a fazer terapia e sentir o quanto o machismo dele expressava o seu domínio com o controle sobre as mulheres.

Foi uma libertação minha diante da lealdade que eu mantinha antes da minha felicidade.

Gratidão ao meu mestre Angelo Gaiarsa que na terapia me conduziu com todo amor.

A ordem é clara: os filhos precisam ser filhos, os pais precisam ser pais.

Quando ambos exercem essa ordem significa que estamos em nossos respectivos lugares e isso nos empoderar e nos curar.

Quando houver mais obediência e respeito enquanto o filho aos pais, maior sucesso, felicidade e prosperidade vai ter na vida, dentro do aspecto da lealdade sem emaranhamentos.

Ou como Hellinger dizia: " muitas vezes você precisa ser um pouco desleal . "

O sentir dessa frase, é trazer a consciência dos movimentos errôneos através de uma lealdade aos nossos antepassados.

Honrar os pais e os antepassados é conhecer a história deles e o que eles fizeram com seus sofrimentos e o que faltou para completar tudo isso de forma positiva e com amor.

Viver o que eles não conseguiram viver.

E sempre mentalizar: o melhor de vocês estão em mim e me liberto desse padrão que vocês sofreram.

Pois felicidade é agora!

O todo é o próprio sistema.

 O eu não existe só.

Esse é o maior senso de pertencimento.

Perigo, sintomas, doenças, temos que ter eterna gratidão aos nossos antepassados pela grande oportunidade de modificações.

Tudo isso através da fenomenologia e que não podemos desistir para trazer as soluções através do amor e do perdão. 

Sempre temos que acolher com amor o sofrimento do cliente através de um emaranhamento em lealdade ao amor.

Todo sofrimento sendo desproporcional ao contexto é um emaranhamento, uma lealdade.

O amor interrompido não é só dos nossos antepassados, poderá ser também dos filhos aos pais ou entre nós e os genitores ( crianças por vias adotivas ).

Todo terapeuta precisa ser expressivo para que possa ter um vinculo de amor com seu cliente, amor com a vida.

O terapeuta precisa estar curado em sua vida para curar seu paciente, senão a cura do cliente vai ser pequena.

Tem que saber ouvir, haver dialogo feito com amor, escutar com o coração o sofrimento dele, e assim entender a todos os motivos de seu sofrimento.

E você fala: eu vejo você e vejo a justa razão de seu sofrimento.

Esse é o amor do espírito através da compaixão e empatia.

Amor do diálogo assertivo na comunicação.

 Gratidão ao Universo, diante da minha escolha em ser terapeuta e conduzir com amor as almas que sofrem em suas sombras na ajuda a dar luz e iluminar ao caminho da felicidade.   

 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Maria Lucia Sammartino Pozzebon
Maria Lucia Sammartino Pozzebon Seguir

Sou formada há 43 anos com especialização em regressão de memória. Amo o que eu estou profissionalmente onde sempre quero ajudar seres humanos a sair de seus sofrimentos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você