[ editar artigo]

O PODER DO INVISÍVEL

O PODER DO INVISÍVEL

Escutei de várias pessoas, mesmo falando de maneiras diferentes, que tudo que se passa no macro também ocorre no micro.

A primeira vez que eu ouvi isso foi numa aula de ciências, onde o professor nos mostrava que como ser humano precisamos das mesmas substâncias químicas de qualquer outro ser vivente.

Achei incrível! Ficava imaginando como poderia ser possível isso acontecer? Eram as ligações químicas, dizia o mestre, que diferenciavam essas matérias. Impressionante!

Anos mais tarde, uma psicóloga amiga comentava que o “reboliço” que acontece no mundo interior de uma pessoa se reflete no seu mundo externo, ou segundo ela, o contrário também era verdadeiro.

Eu comecei a observar um pouco mais ao meu redor.

Na minha cabeça sempre passa coisas muito simples.

Ficava imaginando como pode uma pessoa estudar numa mesa desorganizada? Como alguém pode deixar seu quarto tumultuado?

Isso me remete ao que eu aprendi desde cedo com os mais velhos da família, a importância de fazer a cama ao acordar. Eles falavam que quando fazemos a nossa cama o dia vai ser todo organizado e tudo flui melhor.

Incrível que muitas vezes subestimamos essas falas e nem mesmo prestamos a atenção. Agimos automaticamente e adquirimos os hábitos familiares.

Como estou pensativa nesses dias, começo a divagar.

Mesmo com toda a desorganização do nosso planeta, há poucos meses atrás, antes dessa pandemia, tínhamos uma sensação que as coisas estavam seguindo um “roteiro normal”.

No entanto, tudo mudou de forma e foi tão rápido e drástica.

Apareceu um invisível inimigo e nos convidou a olhar um pouquinho para a gente, promoveu uma dualidade no nosso interior que nos levou a ver outras perspectivas.

Era inimaginável o quanto esse vírus machucaria o ser humano e o quanto ele se tornou poderoso.

Eu penso, nesta hora, na importância do poder do invisível!

Estamos reféns deste ser invisível ao olho nu, causador desse inexplicável COVID-19, que tem nos fragilizado e nos machucado físico e emocionalmente com tantas perdas, que promove uma reviravolta na vibração do nosso planeta fazendo-nos rever os hábitos de vida, obrigando-nos a trocar o batom por máscaras, a rua pela casa, o restaurante pela mesa da cozinha.  

Diante deste COVID, surge um convite a toda a humanidade. Visto que, neste momento em que estamos vivenciando o concreto do ser invisível, certamente o Universo nos convida para refletir e nos chama para conectar com a força oculta do bem que está disponível para todos nós.

Esta força do bem, que também é invisível, nos oferta o consolo, o colo, o amor que é divino e cheio de bênçãos.

Aqui em casa no início do ano fomos forçados pelo COVID a ficarmos todos juntos, isolados do mundo lá fora e ao mesmo tempo apreensivos sem conhecer este invisível que tantas mazelas tem espalhado. Não tivemos opção. O convite de ficar quieto e conectar com o invisível estava feito.

Foi surpreendente! Diante do inevitável e das condições físicas debilitadas, fomos seguindo com medo e juntos. Sentimos diariamente a necessidade do abraço, do olhar profundo, do ficar de mãos dadas, do cuidar um do outro e acima de tudo de nos sentirmos protegidos e amados por nossos entes queridos e mais que isso, abençoados e amparados pela Santíssima Família de Nazaré.  

Era a nossa família sendo sustentada pela Família Divina.

Diante dos diferentes sintomas que apresentávamos, todos tínhamos dificuldade respiratória, mais uma vez, sentíamos a necessidade de valorizar o invisível e reconhecer que o "ar" é esse elemento que reforça a nossa igualdade como ser vivo, afinal, todos nós respiramos o mesmo ar sobre a terra.

E sentir a falta de ar é admitir a nossa escassez de autonomia.

Somos carentes e mendigos da Providência Divina. É por meio da respiração eficiente que médicos e as filosofias milenares como a Yoga podem detectar a qualidade de vida de uma pessoa demonstrando que o COVID mais uma vez nos convida a observar que nem sempre é necessário tornar-se forte. Temos que respirar nossas fraquezas para seguir adiante.

E como seres fracos, necessitados do amor de Deus.

Aceitamos amorosamente o convite da convivência em família e aproveitamos esse momento para reforçarmos a nossa certeza no amor que nos une e reconhecermos que há laços invisíveis que nos ligam e da maneira como lidamos com esses laços é que teremos uma vida grata e feliz.

Nossa família aceitou o inevitável convite e nessa oportunidade, nós queremos falar para a sua família: primeiro se proteja, mas se o COVID for ao seu lar, trate-o com respeito e reconheça a oportunidade de vivenciar dias mais amorosos com os seus e com a Sagrada Família de Jesus.

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você