[ editar artigo]

CARTA PARA MEU IRMÃO AMADO, GÊMEO SISTÊMICO, MEU IRMÃO CAÇULA MILTON VALDERAMOS

CARTA PARA MEU IRMÃO AMADO, GÊMEO SISTÊMICO, MEU IRMÃO CAÇULA MILTON VALDERAMOS

Querido irmão Milton,

Como você está?

Sempre que te pergunto suas respostas são superficiais ou a respeito de algo da parte do profissional, do clima, qualquer coisa, menos sobre você. Eu também procuro ser bem rasa, não falar muito de mim, do que estou vivenciando, temendo ser desaprovada por você, sua esposa e sua filha , a quem amo tanto!

Nós não conversamos mais como conversávamos na adolescência, não é irmão?

Não somos confidentes já há muitos anos! Tanta coisa foi nos distanciando! Interessante, porque o que passamos deveria ter nos aproximado mais ainda!

Mas, hoje eu sei o porquê.

Eu vejo você e vejo suas dores, suas dificuldades de lidar com a vida e com a fragilidade, a limitação de todos nós, os humanos. Toda vez que fica muito profundo, doído, você se recolhe.

É difícil para você! Eu aceito, digo SIM agora para essa sua necessidade. Está tudo bem! Tivemos oportunidades de demonstrar nosso mútuo amor fraternal e teremos infinitas delas ainda daqui para frente, eu sei. Quero te dizer que sinto muito pelos julgamentos e criticas que sempre te fiz. Sinto muito mesmo! Eu achava que, como pensava ser a irmã mais velha, essa deveria ser minha obrigação.

Na verdade, eu infringi a Lei da Ordem: Não sou sua mãe nem seu pai e devo respeitá-lo, simplesmente concordar que tudo é como é.

Mesmo porque, quero te contar uma grande novidade. Para mim foi uma surpresa incrível! Temos mais duas irmãs! Não é maravilhoso? Temos uma irmã mais velha que eu e uma outra, minha gêmea, as duas não puderam ficar. Não chegaram a nascer. Da primeira a mãe provavelmente soube, mas da minha gêmea ela pode nem ter se dado conta.

Fiquei sabendo da existência de ambas através das Constelações Sistêmicas Familiares, uma intervenção incrivelmente milagrosa que têm me ajudado muito. Gostaria muito de falar sobre tudo isso pessoalmente com você, dividir meu entusiasmo com esse estudo, de como sinto a Presença de Deus, de Jesus Cristo nesse trabalho sagrado, lhe falar das curas que tenho sido testemunha e daquelas que estão acontecendo em mim mesma, mas sei que você jamais aceitaria essa conversa, infelizmente!

Te conhecendo como conheço, creio que oraria a Deus para que me “livrasse desse mal” e me daria uma grande reprimenda, pois você também não está no seu lugar devido dentro do nosso sistema. Por um amor cego por mim, você fez e faz julgamentos e me coloca sempre numa condição de “pecadora”, “desobediente”, “do contra”, “rebelde”. Imagine!

Se você pudesse ouvir a Susy Guedes, nossa amada coordenadora pedagógica, e a Irmã Neiva que estuda com a gente, duas mulheres de Cristo, falando sobre o paralelo entre esse trabalho e o que Jesus pregou e deixou como missão para nós, seus seguidores, você talvez entendesse o que estou vivenciando e queria tanto compartilhar com você, com todos que amo!

Mas, eu te entendo e respeito! Somos muito parecidos em querer apontar um para o outro o dedinho, sem perceber quantos estão apontados para nós mesmos. Está tudo certo do jeito que está! Aceito do jeitinho que é. Assim é!

Quero aproveitar que tenho essa chance de me comunicar com você por aqui (essa possibilidade sistêmica para mim é BENÇÃO!) para te dizer que, mesmo com toda a dor que sentimos pelo o que um fez ao outro outrora, eu sei que nunca deixamos de nós amar e que temos nossas justas razões sempre para fazermos o que fazemos e como fazemos.

Hoje que sei que estamos à serviço de algo muito infinitamente maior, já não me incomodo tanto com tudo. Mas, sinto saudades. Sinto sua falta. Tomara voltemos a nos ver em breve!

Você fará 60 anos dia 04 de outubro e eu quero te presentear como meu amor que sempre existiu, mas que agora é um amor consciente, um amor que integra, que acolhe e que nada exige em troca.

Sempre te amarei infinita e eternamente!

Muita gratidão por tudo que você representa, representou e representará na minha vida, desde o dia em que, enquanto eu chorava no colo da Vó Dora, eu via a mãe chegando com um embrulhinho no colo; eu puxava a mãe e pedia, implorava chorando para ela me pegar e a vó dizia: “é seu irmãozinho filha, foi Deus que mandou esse presente para você”!

Fico arrepiada e muito emocionada ainda, depois de todo esse tempo! Ontem, durante a aula da minha amada Mestra Olinda Guedes (ah, você tinha que conhecê-la! Que pessoa incrível! Uma “MÃE DE TODOS”, ‘como a chamo!) ela disse que irmãos, com o tempo que temos de diferença de nascidos, são considerados gêmeos sistêmicos, pois experienciamos tudo igual dentro do útero de nossa mãe.

Quando você nasceu, as células do útero dela ainda estavam como quando eu estava em seu ventre. Não é maravilhoso? Fiquei tão feliz e chorei muito quando ouvi isso! SOMOS GÊMEOS! SOMO TRIGÊMEOS, POIS NOSSA IRMÃ, AQUELA QUE NÃO NASCEU JUNTO COMIGO, TAMBÉM ESTÁ EM NÓS!

Ah, nunca mais serei sozinha! Obrigada, Meu Deus.

Ah, eu dei nomes às nossas irmãs, vê se você gosta: A nossa mais velha é a Angélica, porque é anjo, pura como anjo, mensageira de Deus, e também para homenagear a nossa mãezinha Angelina que deve ter sofrido muito por não ter visto ela nascer e a nossa gêmea é a Melissa, porque trouxe mel, bálsamo para as nossas vidas. Agora as nossas três amadas, mais a princesa Thalita, sua filha e minha de coração, junto com o pai, a vó Dora e nossos amados, devem estar fazendo festa com todos os nossos antepassados!

Eles sabem que os vemos, os reconhecemos e os honramos!

Sou muito grata por terem me propiciado ter a minha vida e ter vocês como irmãos, como família! É com muito orgulho que farei desse bem maior que vocês todos me dão algo de bom para outros durante minha caminhada nessa dimensão!

Obrigada meu amado irmão! GRATIDÃO ETERNA!

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você