[ editar artigo]

Doença e inocência

Doença e inocência

Bert Hellinger:

"Muita gente acha que para os doentes a morte é ruim. Não é verdade, em absoluto."

Para eles a vida é ruim.

E eu sei por quê. Descobri isso. Quem adoece gravemente e morre de câncer, por exemplo, sente-se inocente e pertencendo à família num sentido profundo.

E quem se livra da doença teme deixar de pertencer a ela se sobreviver. E por isso prefere morrer.

Assim procedem as crianças pequenas.

É preciso dizer-lhes que isso não é assim.

Decidir-se pela vida, por um destino maior, produz na pessoa um sentimento de solidão.

Quem se desprende da mãe, do pai, de um irmão, ou de outra pessoa, tem de abandonar a união simbiótica com eles.

Só nas alturas, por assim dizer, somos fortes, leves — e sós.

Nesse modo de estar sós nos ligamos a muitas coisas, mas não com a mesma intimidade do nível simbiótico, pois agora nos ligamos como pessoas autônomas.

Bert Hellinger

Desatando os laços do destino. Página 49. 

 

 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Débora Carvalho
Débora Carvalho Seguir

Abrace a sua vulnerabilidade e faça dela a sua maior força. É bonito demais sentir.

Ler conteúdo completo
Indicados para você