[ editar artigo]

Eu tomo com amor

Eu tomo com amor

Um pequeno trecho de Bert Hellinger, no livro “O amor do espírito” que fala de nós (como filhos) e nossos pais. Este é um tema que é trazido com certa frequência nas Constelações. Bert Hellinger.

“Nossos pais não nos dão somente a vida. Eles também nos nutrem, educam, protegem, cuidam de nós, dão-nos um lar. E é adequado que tomemos tudo isso tal como recebemos deles. Então, lhes dizemos: “Eu tomo tudo – com amor”.

E é claro que isso faz parte: “Eu tomo com amor”. Essa é uma forma de tomar que equilibra ao mesmo tempo, porque os pais se sentem apreciados e respeitados e dão com mais prazer. Se tomamos de nossos pais dessa maneira, via de regra, é o bastante.

Existem exceções que todos conhecemos. Pode não ser sempre o que desejamos ou o quanto desejamos, mas, via de regra, é o bastante. Quando o filho se torna adulto, diz aos pais: “Recebi muito, e isso basta. Eu o levo comigo em minha vida”. Então ele se sente satisfeito e rico. E acrescenta: “O resto eu mesmo faço”. Também essa é uma bela frase. Ela nos torna independentes.

 

 

Débora Pereira  Carvalho 

Pedagoga e Terapeuta Sistêmica. 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Débora Carvalho
Débora Carvalho Seguir

Abrace a sua vulnerabilidade e faça dela a sua maior força. É bonito demais sentir.

Ler conteúdo completo
Indicados para você