[ editar artigo]

FELICIDADE AUTÊNTICA

FELICIDADE AUTÊNTICA

DADOS DO EXEMPLAR LIDO

Título: FELICIDADE AUTÊNTICA  

Autor (es): Martim E. P. Seligman

Edição: 2.a Local de Publicação: Rio de Janeiro

Editora: Editora Schwarcz S.A.  Objetiva Ano: 2019


QUESTÕES ORIENTADORAS PARA FICHAMENTO:

1) Qual a mensagem global que o autor deixou para você? Resuma em, no máximo, 4 linhas.

Felicidade também inclui a ideia de uma vida autêntica. Este não é um julgamento meramente subjetivo, e autenticidade descreve o ato de obter gratificação e emoção positiva através do exercício das próprias forças pessoais, que são caminhos naturais e permanentes para a gratificação.

O amor significa muito mais que dar afeto em troca daquilo que se espera receber.

O amor nos torna melhores.

O amor demonstra a capacidade que o ser humano tem de se comprometer transcendendo aquele “ O que você fez por mim ultimamente? E desmentindo a teoria do egoísmo universal.

2) A partir do que você leu, enumere 10 dicas para você criar excelência para sua vida.

1- As pessoas querem mais que apenas corrigir as fraquezas: querem vidas cheias de significado, não apenas sobre viver até a morte.

2- A felicidade autêntica está na identificação e no aperfeiçoamento das suas forças mais fundamentais e na utilização diária deles no trabalho, no amor, no prazer e na criação dos filhos.

3- A psicologia positiva tem três pilares: o primeiro é o estudo da emoção positiva; o segundo é o estudo dos traços positivos principalmente forças e virtudes, mas também as capacidades, como a inteligência e a aptidão física; o terceiro é o estudo das instituições positivas, como a democracia, a família e a liberdade, que dão suporte às virtudes que, por sua vez, apoiam as emoções positivas.

4- O exercício da bondade é uma gratificação, não um prazer, e como tal recorre as suas forças para enfrentar um desafio quando a situação exige. A bondade não vem acompanhada de uma corrente separável da emoção positiva.

5- Sentimentos são estados, ocorrências momentâneas que não precisam ser aspectos recorrentes da nossa personalidade.

6- Os otimistas tendem a considerar seus problemas passageiros, controláveis e específicos de determinada situação.

O otimismo é apenas uma das mais de vinte forças que ocasionam maior bem-estar.

7- O que é a vida boa?

Para a vida boa porém é preciso usar diariamente as suas forças pessoais, produzindo assim felicidade autentica e gratificação abundante.

O bem-estar que a utilização das forças produz tem sua base na autenticidade.

8-  As pessoas deprimidas julgam com mais precisão suas habilidades, enquanto as felizes se consideram muito mais capazes do que são consideradas pelos outros.

9- As pessoas felizes não somente resistem melhor a dor e adotam mais precauções relativas a segurança e a saúde quando ameaçadas, mas as emoções positivas desfazem as negativas.

Recentemente Ed Diener e eu Martin Seligman, decidimos fazer o contrário, enfocando estilo de vida e personalidade das pessoas muito felizes.

10- Portadores de síndrome do pânico catastrófica e erroneamente interpretam sensações físicas, como aumento do ritmo cardíaco ou respiração ofegante, como sintomas de um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral.

3) Considerando a realidade onde vive, o que você aplicou, imediatamente, assim que leu? (Qual tópico, qual ideia? - cite o capítulo, página e a ideia).

Me tocou muito a página 250 do livro no capítulo 12 eu diz: “A qualidade do sonho está ligada a depressão.” Sofri por anos de depressão e tinha muitos sonhos e sempre questionava o meu terapeuta sobre isso.

4) O que você transformou em si mesmo com a leitura deste livro?

Os melhores terapeutas não curam simplesmente os sintomas; eles ajudam a identificar e construir forças e virtudes.

A função do pensamento é acalmar a dúvida.

O flow acontece quando os desafios que você enfrenta combina com a sua capacidade de enfrentá-los.

5) Quais as mudanças que você se compromete em tornar real a partir desta leitura?

Praticar a gratidão. A razão pela qual a gratidão contribui para aumentar a satisfação com a vida é que ela amplia as boas lembranças do passado, a intensidade, a frequência e a graça.

Praticar o perdão. Perdão não é uma borracha, que apaga o passado, é uma mudança no que a lembranças trazem com elas. É importante saber que lembrar não significa guardar rancor. Não fique remoendo as lembranças pensando em vingança. Lembre-se de que já perdoou.

6) Se você encontrasse o autor do livro, o que você diria à ele?

O pai da psicologia positiva, Martin Seligman é um de meus autores favoritos, tenho lido todas as suas obras e me sinto feliz em poder compartilhar e estudar um pouco mais sobre felicidade.

7) Enumere 3 pessoas para as quais você sugeriria este livro e justifique.

A todas as pessoas que buscam uma vida plena, as práticas de meditações ser otimista, diminuir a depressão, melhorar a saúde física e proporcionar maiores realizações nas áreas da vida


Abaixo um resumo de minha leitura desta obra:

FELICIDADE AUTÊNTICA

USE A PSICOLOGIA POSITIVA PARA ALCANÇAR TODO SEU POTENCIAL

As pessoas querem mais que apenas corrigir as fraquezas: querem vidas cheias de significado, não apenas sobre viver até a morte.

A felicidade não é autêntica.

A filosofia de Freud, por mais estranha que possa parecer quando colocada em palavras tão cruas, ainda faz parte da prática psiquiátrica e psicológica atual, em que os pacientes exploraram o passado em busca de acontecimentos e impulsos negativos que tenham contribuído para formar sua identidade.

A felicidade autêntica está na identificação e no aperfeiçoamento das suas forças mais fundamentais e na utilização diária deles no trabalho, no amor, no prazer e na criação dos filhos.

A psicologia positiva tem três pilares: o primeiro é o estudo da emoção positiva; o segundo é o estudo dos traços positivos principalmente forças e virtudes, mas também as capacidades, como a inteligência e a aptidão física; o terceiro é o estudo das instituições positivas, como a democracia, a família e a liberdade, que dão suporte às virtudes que, por sua vez, apoiam as emoções positivas.

Instituições positivas, democracia, a família e a liberdade de imprensa, as forças e virtudes, coragem, perspectiva, integridade, igualdade, lealdade.

Os melhores terapeutas não curam simplesmente os sintomas; eles ajudam a identificar e construir forças e virtudes.

Investigar a expectativa de vida e compreenderas condições que a encurtam ou prolongam é um problema científico de grande importância e igualmente complicado.

90% das pessoas viveram até 85 anos, contra apenas 34% do segmento inferior. Segundo a mesma tendência 54% faz mais alegres viveram até 94 anos, contra 11% das menos alegres.

A primeira parte deste livro trata dessas emoções positivas passageiras? Contentamento, tranquilamente, alegria, prazer, satisfação, serenidade, esperança e euforia.

Feliciologia ou hedonismo, o hedonismo deseja o máximo de bons momentos e o mínimo de maus momentos. Isso é mais que uma teoria do tipo torre de marfim, que já muita gente administra a vida com base neste objetivo.

Esse livro explica porque o hedonismo falha e o que isso pode significar para você. A psicologia positiva, portanto está ligada aos bons e aos maus momentos, a tapeçaria formada por tais eventos e as forças e virtudes que determinam a qualidade de vida.

Emoção positiva desligada do exercício do caráter leva ao vazio, a inverdade, a depressão e à medida que envelhecemos, a corrosão de toda realização que buscamos até nosso último suspiro.

O exercício da bondade é uma gratificação, não um prazer, e como tal recorre as suas forças para enfrentar um desafio quando a situação exige. A bondade não vem acompanhada de uma corrente separável da emoção positiva. Em vez disso consiste em total integração e perda de qualquer traço de acanhamento.

Sentimentos são estados, ocorrências momentâneas que não precisam ser aspectos recorrentes da nossa personalidade.

Os otimistas tendem a considerar seus problemas passageiros, controláveis e específicos de determinada situação.

O otimismo é apenas uma das mais de vinte forças que ocasionam maior bem-estar.

  • Valorizadas em quase todas as culturas;
  • Valorizadas pelo que são e não para atingir outros fins;
  • Maleáveis;
  • Seis virtudes principais;
  • Sabedoria e conhecimento;
  • Coragem;
  • Amor e humanidade;
  • Justiça;
  • Moderação;
  • Espiritualidade e transcendência;
  • Sabedoria, curiosidade, gosto pela aprendizagem, critério, originalidade, inteligência social e perspectiva;
  • Amor, bondade, generosidade, ensino, capacidade de amar e ser amado.

Algumas de suas forças são tônicas e outras fásicas, você não tem como demonstrar a coragem na fila do banco ou dentro de um avião (a não ser que a aeronave seja sequestrada por terroristas). Uma única ação fásica no decorrer da vida  pode ser suficiente para demonstrar coragem.

O que é a vida boa?

Para a vida boa porém é preciso usar diariamente as suas forças pessoais, produzindo assim felicidade autentica e gratificação abundante.

O bem-estar que a utilização das forças produz tem sua base na autenticidade.

O que a psicologia positiva nos diz acerca de encontrar um propósito de levar  uma vida significativa além da vida boa.

A psicologia passa a ser praticamente um sinônimo de tratamento de doença mental. Sua misso histórica de fazer a vida das pessoas comuns mais produtivas e plena fica em segundo plano em relação a cura de desordens, e as tentativas de identificar e apoiar gênios são praticamente abandonadas.

A psicologia é um círculo fechado que imita outro círculo fechado psiquiatria.

A conclusão que se tira daí é que parece haver um timoneiro genético que determina o curso da nossa vida emocional.

Moral da história: Uma pessoa pode ser feliz, ainda que sem muita emoção positiva.

Fredrickson afirma que as emoções positivas tem um papel importante na evolução. Elas fortalecem nossos recursos intelectuais, físicos  e sociais, criando reservas de que podemos lançar mão quando uma oportunidade ou uma ameaça se apresentam.

O grupo que ganhou as balas se saiu melhor, descobrindo a doença hepática com mais rapidez e eficiência, sem ceder a conclusões prematuras em outras formas de processamento intelectual superficial.

A função do pensamento é acalmar a dúvida.

As pessoas deprimidas julgam com mais precisão suas habilidades, enquanto as felizes se consideram muito mais capazes do que são consideradas pelos outros.

As pessoas felizes confiam nas experiências positivas do passado, enquanto as infelizes são mais descrentes.

Um estado de espírito positivo nos induz a um modo de pensar completamente diferente de um estado de espírito negativo. Observei isso em mais de trinta anos de reuniões de professores do Departamento de Psicologia, gente taciturna em salas sombrias, cinzentas e sem janelas, um ambiente gelado que parece nos tornar críticos mais severos.

Um estado de espírito positivo, ao contrário leva os indivíduos a um modo de pensar criativo, tolerante, construtivo, generoso e desarmado.

Prefira executar essas tarefas em dias chuvosos, sentado em posição ereta, em silencio e em ambientes pintados em tom neutro. Irritação e mau humor não são empecilhos, na verdade, podem tornar as suas decisões mais acertadas.

As emoções positivas mostraram-se um forte indicativo de longevidade e de capacidade física.

As pessoas felizes têm hábitos mais saudáveis, pressão sanguínea mais baixa e um sistema imunológico mais ativo que as menos felizes.

Produtividade, talvez o traço mais importante do ser humano para o mercado de trabalho seja a produtividade.

Pesquisas sugerem que mais felicidade contribui para maior produtividade e salários melhores.

Crianças e adultos em estado de espírito positivo selecionam metas mais ambiciosas, tem um desempenho melhor e persistem por mais tempo em uma variedade de testes de laboratório, como resolver anagramas por exemplo.

As pessoas felizes não somente resistem melhor a dor e adotam mais precauções relativas a segurança e a saúde quando ameaçadas, mas as emoções positivas desfazem as negativas.

Recentemente Ed Diener e eu decidimos fazer o contrário, enfocando estilo de vida e personalidade das pessoas muito felizes.

Os muito felizes passavam o mínimo de tempo sozinhos (e o máximo em atividades sociais) e segundo a própria opinião  e as opiniões dos amigos, tinha ótimos relacionamentos. Todos os 22 membros do grupo dos muito felizes, exceto um, disseram estar namorando.

Muitos outros estudos demonstraram que as pessoas felizes tem mais amigos, sejam casuais ou íntimos, ficam mais tempo casadas e participam mais de atividades de grupos do que as infelizes.

No laboratório crianças e adultos induzidos a felicidade demonstram mais empatia e ficam mais dispostos a doar dinheiro aos necessitados.

O aumento da emoção positiva, melhora a amizade, o amor, a saúde física e a realização. A teria de Frederickson também responde a pergunta que inicia este capitulo .Por que nos sentimos felizes? Por que sentimos alguma coisa?

Os sentimentos da emoção positiva também são sensoriais. O sentimento positivo é um letreiro em neon que avisa sobre uma potencial interação favorável a ambas as partes. Ao ativar um estado de espírito expansivo, tolerante e criativo, os sentimentos positivos maximizam os benefícios sociais, intelectuais e físicos resultantes daquela interação.

E possível se tornar permanentemente mais feliz?

A felicidade momentânea pode ser facilmente aumentada por uma série de artifícios, como chocolate, um comédia romântica, uma massagem nas costas, um comprimido, flores e uma roupa nova.

Mais ou menos 50% dos traços da personalidade podem ser atribuídos à herança genética.

As pessoas felizes são muito sociais, e existe razão para acreditar que sua felicidade seja fruto de muita socialização enriquecedora.

Que faz com que as pessoas se adaptem rápida e  inevitavelmente as coisas boas vendo-as como naturais. Com o acumulo de bens materiais e de realizações as expectativas aumentam.

Mas as menos afortunadas são de modo geral, são tão felizes quanto as mais afortunadas.

Em menos de três meses, eventos importantes (como uma demissão ou uma promoção) perdem o impacto sobre os níveis de felicidade.

A riqueza que com certeza traz bens materiais, tem uma correlação surpreendentemente baixa com o nível de felicidade. Os ricos são, em média apenas ligeiramente mais felizes que os pobres.

Os salários aumentaram bastante nas nações prósperas no último meio século, mas o nível de satisfação com a vida manteve-se o mesmo nos Estados Unidos e na maioria dos países ricos.

Mudança no salário do indivíduo são motivo de satisfação no trabalho mas os níveis médios de salários não.

A beleza física (que como a riqueza, traz uma série de vantagens) não tem muito efeito sobre a felicidade.

A saúde física, talvez o mais valioso de todos os recursos, tem pouquíssima relação com a felicidade.

Os habitantes de nações muito pobres, como a Índia e a Nigéria, relatam muito menos felicidade do que aqueles que vivem em países mais ricos, embora os primeiros vivam na pobreza a séculos.

Mesmo os fabulosamente ricos, os cem mais ricos da Forbes, com um patrimônio líquido de 125 milhões de dólares, em média, são apenas um pouquinho mais felizes do que o norte-americano médio.

Mais que o próprio dinheiro, o que influencia a felicidade é a importância que se dá a ele. O materialismo parece ser contraproducente: em todas as faixas de rendimento, aqueles que valorizam mais o dinheiro do que outros setores estão menos satisfeitos com o que ganham e com a vida como um todo embora não haja uma explicação precisa para isso.

Ao contrário do dinheiro que tem no máximo um efeito pequeno, o casamento está intimamente ligado à felicidade.

Em termos de felicidade, a vantagem para os casados está ligada ao envelhecimento e à parte financeira, e tanto vale para homens como para mulheres. Mas também existe um fundo de verdade no ditado antes só do que mal acompanhado, já que um casamento infeliz prejudica o bem-estar entre aqueles que vivem casamentos não muito felizes, o nível de felicidade é mais baixo que o dos solteiros ou divorciados.

Soteria também era o nome da festa que os gregos davam quando escapavam da morte.

A inteligência também não influencia a felicidade, seja para mais ou para menos.

Como mudar algumas circunstâncias da vida, de modo a viver na parte superior da faixa de variação desse limite?

Emoções positivas podem estar ligadas ao passado, ao presente ou ao futuro. As emoções positivas ligadas ao futuro incluem otimismo, esperança, fé e confiança. As ligadas ao presente incluem alegria, êxtase, calma, entusiasmo, animação, prazer e (mais importante) flow, a plenitude, a experiência de fluir é a essas emoções que as pessoas em geral, se referem quando casualmente, mas de maneira limitada, falam de felicidade. As emoções positivas ligadas ao passado incluem satisfação, contentamento, realização, orgulho e serenidade.

O conteúdo do pensamento é causado pela emoção.

Portadores de síndrome do pânico catastrófica e erroneamente interpretam sensações físicas, como aumento do ritmo cardíaco ou respiração ofegante, como sintomas de um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral.

Nossos ancestrais só se tornaram nossos ancestrais porque venceram dois tipos de batalha: pela sobrevivência e pelo acasalamento. Nós não passamos de uma coleção de características adaptativas  precisamente selecionadas para nos manter vivos e nos reproduzindo com sucesso.

O movimento da criança interior nos diz que os traumas da infância, e não nossas decisões erradas, ou falta de caráter, causam a confusão em que nos encontramos quando adultos e que somente enfrentando-os conseguimos nos livrar da vitimização.

Quem nasce primeiro tem o QI mais alto que o dos irmãos, mas por uma diferença de apenas um ponto em média.

Os adotados, ao chegarem à idade adulta, são muito mais parecidos com os pais biológicos do que com os adotivos.

A expressão da raiva e a insistência na invasão produzem mais doenças cardíacas e mais raiva.

Em outro estudo, os homens com o maior risco de futuras doenças cardíacas foram exatamente aqueles com vozes mais explosivas, mais irritados quando forçados a esperar e com a raiva mais externada.

Geralmente, porém, depois de um curto período de tempo, o humor se acomoda em seus limites estabelecidos. Isso nos diz que as emoções se dissipam por si mesmas.

A razão pela qual a gratidão contribui para aumentar a satisfação com a vida é que ela amplia as boas lembranças do passado, a intensidade, a frequência e a graça.

Minha mãe disse que nunca vai esquecer aquela noite. O exercício foi a oportunidade de finalmente dizer o quanto ela significa para mim. Falei do fundo do coração. Passamos alguns dias nas nuvens. Sempre penso naquela noite.

Pensamentos negativos, intensos e frequentes, acerca do passado são matéria-prima para a insatisfação, tornando impossíveis a serenidade e a paz.

Perdão não é uma borracha, que apaga o passado, é uma mudança no que a lembranças trazem com elas. É importante saber que lembrar não significa guardar rancor. Não fique remoendo as lembranças pensando em vingança. Lembre-se de que já perdoou. Leia os documentos que garantem isso.

Esta sessão abordou as suas emoções positivas (satisfação, contentamento, realização, orgulho e serenidade) em relação ao passado. A primeira é intelectual. Abandonar a ideia de que o passado determina o futuro. O determinismo inflexível que sustenta esse dogma é infrutífero e nada óbvio filosoficamente e a passividade gerada por ele é imobilizadora. A segunda e a terceira são emocionais e ambas envolvem uma mudança voluntária nas recordações. Uma gratidão maior pelas coisas boas do passado intensifica as lembranças positivas, e aprender a perdoar antigas ofensas dissipa a tristeza que o impossibilita de alcançar a satisfação. No próximo capítulo, discutiremos as emoções positivas quanto ao futuro.

Aqueles que mais aproveitam o sucesso quando as coisas começam a dar certo são os otimistas.

Encontrar as causas permanentes e universais de eventos positivos, junto com as causas temporárias e específicas dos eventos negativos, é a arte da esperança.

O modelo dos cinco Cs: contrariedade, crenças,consequências, contestação e capacitação.

Prazeres e gratificações, sensações naturais, atividades em que o tempo para.

Para alguns esvaziar o intestino provoca um misto de alivio e prazer.

Os prazeres são de alta intensidade, baixa e moderada.

A prática oriental da meditação tem muitas formas e quase todas, se feitas regularmente, desaceleram a mente ocidental e comprovadamente diminuem a ansiedade.

São as gratificações que Len tem em abundância, a chave da minha afirmação de que ele leva uma vida boa.

Os prazeres estão ligados aos sentimentos e às emoções. As gratificações, ao contrário estão ligadas  à representação de forças e virtudes pessoais.

Na verdade o que está no coração do flow é a ausência de qualquer tipo de consciência de si mesmo.

A idade média do primeiro episódio de depressão era 29 anos e meio, enquanto hoje é catorze e meio.

O que aconteceria comigo se minha vida fosse toda feita de pequenos prazeres fáceis, nunca exigindo o uso de minhas forças nem apresentando desafios?

O prazer é uma fonte poderosa de motivação, mas não produz a mudança: é uma força conservadora que nos faz querer satisfazer necessidades já existentes, alcançar o conforto e o relaxamento.

Tão essencial à vida é o exercício de sua força.

Quando uma vida inteira é dedicada a busca das emoções positivas, autenticidade e significado se perdem. O que é a vida boa? Mas tudo começa com o aumento de ações que geram gratificação.

A ação é o resultado do caráter do indivíduo.

Ser otimista, diminui a depressão, melhora a saúde física e proporciona maiores realizações, a um custo talvez de menos realismo. O que você vai fazer com essas informações depende dos seus valores e objetivos.

As forças são traços morais e os talentos não. Os talentos geralmente são mais difíceis de construir do que as forças e ao contrário das forças são relativamente automáticos.

Na verdade o que acontece ao caráter também aconteceu ao talento.

O pensamento moderno afirma que a virtude depende primordialmente de vontade e escolha, ao passo que as ações negativas dependem mais de circunstâncias externas.

Ela era, aos dez anos, um prodígio em respeito à força da inteligência social. A propósito, os pais dela estão casados até hoje.

  1. Saber e Conhecimento
  2. Curiosidade /Interesse pelo mundo;
  3. Gosto pela aprendizagem;
  4. Critério/Pensamento/critico/lucidez;
  5. Habilidade/originalidade/inteligência prática/esperteza;
  6. Inteligência social/inteligência pessoal/inteligência emocional;
  7. Perspectiva Coragem;
  8. Bravura e valentia;
  9. Perseverança/Dinamismo/Diligencia;
  10. Integridade/Autenticidade/Honestidade;
  11. Bondade e generosidade;
  12. Amar e aceitar ser amado;
  13. Cidadania/Dever/Espírito de equipe/lealdade;
  14. Imparcialidade e equidade;
  15. Liderança/Temperança;
  16. Autocontrole;
  17. Prudência/Discrição/Cuidado;
  18. Humildade/Modéstia;
  19. Apreciação da beleza/excelência
  20. Gratidão;
  21. Esperança/Otimismo/Responsabilidade com o futuro;
  22. Espiritualidade/Senso de propósito/Fé/Religiosidade;
  23. Perdão e Misericórdia;
  24. Bom Humor e Graça;
  25. Animação/Paixão/Entusiasmo.

O flow acontece quando os desafios que você enfrenta combina com a sua capacidade de enfrentá-los.

O amor significa muito mais que dar afeto em troca daquilo que se espera receber.

O amor nos torna melhores.

O amor demonstra a capacidade que o ser humano tem de se comprometer transcendendo aquele “O que você fez por mim ultimamente?" E desmentindo a teoria do egoísmo universal.

A emoção positiva conforme mencionado no capitulo 3 com o trabalho de Barbara Fredrickson, têm consequências enriquecedoras, edificantes e permanentes.

Os pacientes deprimidos devem descobrir como interromper essa espiral descendente.

Com o castigo e o elogio seletivo, não fica satisfeito o seu desejo natural de fazer a criança se sentir bem o tempo todo.

A rivalidade entre irmãos é um problema menos grave nas famílias em que não falta afeto e atenção.

Ter tarefas a cumprir enquanto criança é um dos fatores que ajudam a prever precocemente a saúde mental na vida adulta.

A rivalidade entre irmãos existe e é especialmente exacerbada sob condições de carência de atenção e afeto.

Por meio de 27 estudos diferentes, concluíram que pessoas deprimidas tinham uma proporção igual: um pensamento ruim para cada pensamento bom. Indivíduo não deprimidos tinham mais ou menos o dobro de pensamentos bons em relação aos ruins. Essa ideia é literalmente simplória, mas poderosa, e confirmada pelos resultados da terapia: pacientes deprimidos saem da sua proporção original de 1:1 para 2:1. Os que não melhoram permanecem 1:1.

A qualidade do sonho está ligada a depressão.

Fazer um acordo com uma criança de 4 anos implica umas premissas significativas: que os pais consigam fazer um contrato com uma criança tão pequena, que a recompensa venha antes, e não depois, do comportamento desejado, e que a criança saiba que caso se comporte mal, estará quebrando a promessa e perdendo a recompensa que acabou de ganhar.

Em suma: é preciso que seu filho esteja voltado para o futuro.

Não faça acordos sobre coisas pequenas, como dormir, comer e tomar banho.

O autor menciona que não tem nenhuma evidência disto, mas por enquanto prefiro pensar que os  recém-nascidos têm potencial para as 24 forças.

A vida agradável, conforme sugeri, está integrada a busca bem-sucedida de sentimentos positivos, complementada pela habilidade de amplificar essas emoções. A vida boa ao contrário, não consiste em maximizar emoções positivas, mas está integrada à utilização bem-sucedida das forças pessoais para alcançar gratificação genuína e plena.

A vida significativa tem um recurso adicional: o emprego das forças pessoais a serviço de alguma coisa maior que nós mesmos.

Viver essas três vidas é levar uma vida completa.

Por que temos emoções positivas, afinal? Por que a vida não é toda estrutura em torno das nossas emoções negativas?

Se só tivéssemos emoções negativas, medo, raiva e tristeza o comportamento humano básico poderia seguir do jeito que é.

Teria a emoção negativa evoluído para nos ajudar nas situações em que todos ganham?

Na tradição judaico-cristã. Deus tem quatro propriedades: onipotência, onisciência, bondade e a criação do universo. Acredito que devamos deixar de lado a última propriedade, o Criador sobrenatural do início dos tempos.

Felicidade também inclui a ideia de uma vida autêntica. Este não é um julgamento meramente subjetivo, e autenticidade descreve o ato de obter gratificação e emoção positiva através do exercício das próprias forças pessoais, que são caminhos naturais e permanentes para a gratificação.

Uma vida significativa  acrescenta mais um componente à vida boa o engajamento das suas forças pessoais a serviço de algo maior . Portanto, além de tratar da felicidade, este livro pretende ser uma introdução à vida significativa.

A vida significativa: utilização das suas virtudes e forças pessoais a serviço de algo maior.

Uma vida plena consiste em experimentar emoções positivas acerca do passado e do futuro, saboreando os sentimentos positivos que vem dos prazeres, buscando gratificação plena no exercício das forças pessoais e aproveitando essas forças a serviço de algo maior, para obter uma vida cheia de significado.

 

 

 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Iraci Aparecida Franceschini
Iraci Aparecida Franceschini Seguir

Sou Partner da SBC Sociedade Brasileira de Coaching e Master coach, fundadora do Instituto D´ORO Treinamento e Desenvolvimento Ltda, apaixonada por contribuir com o desenvolvimento humano de pessoas, times e empresas utilizando soluções on-line .

Ler conteúdo completo
Indicados para você