[ editar artigo]

Sofrimentos e doenças ligados aos destinos familiares

Sofrimentos e doenças ligados aos destinos familiares

Estamos ligados a família e ao destino dela e esse vinculo é às vezes causa de muitos sofrimentos e doenças.

A família provoca doenças, não porque as pessoas sejam más, mas porque na família atuam destinos que concernem, tocam e influenciam a todos. O vinculo familiar faz com que os destinos sejam compartilhados por todos. E, se aconteceu algo grave numa família, existe ao longo de gerações uma necessidade de compensação.

A consciência do clã

Existe uma força, uma instância que faz com que todo o sistema familiar busque o equilíbrio e a compensação. Faz, por exemplo, que os excluídos sejam reintegrados, ou que cada um arque com responsabilidade pelas próprias ações ou que as consequências de uma culpa não sejam transferidas dos pais para os filhos e destes para os netos.

Se aprendermos a incluir essa força, podemos usá-la para restaurar a ordem no sistema, uma ordem que liberte de um destino nefasto ou, pelo menos, atenue os seus efeitos. Então todos podem respirar aliviados. As forças positivas tornam a entrar em ação e exercem um efeito liberador. Quando a família é colocada em ordem dessa maneira, o indivíduo pode afastar dela, sentindo às suas costas a força que dela emana. Somente quando os vínculos familiares são reconhecidos, a responsabilidade é vista com clareza e compartilhada entre todos. O indivíduo se sente aliviado e pode seguir seu próprio caminho, sem sentir sobrecarregado e afetado pelo que aconteceu anteriormente.

O amor que cura, o amor que adoece

O amor no seio da família tanto pode provocar doença como restabelecer a saúde. Não é a família que provoca as doenças, mas a profundidade dos vínculos e a necessidade de compensação. Quando se traz isso à luz, esse mesmo amor e essa mesma necessidade de compensação podem num nível superior, ter uma influência benéfica sobre a doença. Dizer simplesmente, que a família provoca doença seria condenar levianamente a família. Não é justo acusá-la. O sofrimento no seio de uma família não se origina porque existe a família. Assim como é a família, é também a vida. Na família, começamos a viver e daí surge a pergunta: como é que o indivíduo organiza sua vida de maneira que seja possível um desenvolvimento? O indivíduo, não importa o que ele anuncie ao mundo, no fundo permanece fiel à família. Temos que reconhecer este amor profundo.

 

Livro; "Constelações Familiares e o Caminho da Cura"- A abordagem da doença sob a perspectiva de uma medicina integral
Autor: Stephan Hausner - Ed. Cultrix"

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Débora Carvalho
Débora Carvalho Seguir

Abrace a sua vulnerabilidade e faça dela a sua maior força. É bonito demais sentir.

Ler conteúdo completo
Indicados para você