[ editar artigo]

CARTA A VOCÊ MEU CLIENTE, A VOCÊ MINHA CLIENTE QUE SOFRE COM INDECISÕES.

CARTA A VOCÊ MEU CLIENTE, A VOCÊ  MINHA CLIENTE QUE SOFRE COM INDECISÕES.

 

IMUNIDADE E PROTEÇÃO

E então você sabe que acabou, não existe mais.

Porém, não consegue terminar.

Relacionamento já não é, pois que relacionamento indica haver mão dupla, troca, e isso você sente que não tem há a muito tempo.

Adianta colher defeitos e se criticar por ter aceito até agora?

Não!

O que você pode fazer então?

Talvez possa fazer por você o que nunca ninguém fez.

Você queria, eu entendo.

Você esperava.

Eu compreendo.

Contudo, hoje aquilo que não veio você mesma, você mesmo, pode se dar, não?

Evitar fazer escolhas é um sinal de medo de deixar algo, de não poder se desvencilhar de algo ou alguém.

Quantas vezes isso tem se repetido entre nós no nosso sistema? Para quê?

O que tenho que ver para reparar, curar?

Quem está a esperar?

O que não pode ainda ser deixado?

Incluir é preciso.

Viver é navegar em águas profundas, onde sempre há o inesperado.

É arriscar-se.

Atirar-se!

Por isso, errar é fatal e necessário.

Optar pelo melhor hoje pode não ser a mesma escolha que faremos amanhã.

Sim. Verdade!

Mas, temos que caminhar o caminho para poder aprender com que andamos.

Não ficar mais a esperar.

Pegar a mão de quem está a espera e trazê-lo de volta.

À vida!

Ah, mas eu não devia.

Fácil, depois da chegada criticar.

Porém, seria possível naquela época, naquela fase, como estávamos, dentro daquelas circunstâncias, exatamente daquele jeito que estávamos ter sido diferente, termos agido de outra forma?

Será?

Será?

Sinceridade com você. Você merece.

Julgamentos e má culpa só atrapalham o desenvolvimento, o amadurecer.

Viver não é fácil para ninguém, bem diz a amada mestra Olinda Guedes.

Vista a pele que eu visto, ou eu que a vista novamente.

Caia os tombos que cai, ou eu que tropece novamente no mesmo lugar, no mesmo tempo e espaço, e vejamos se realmente havia que se ter feito diferente.

Eu posso reparar? Fazer o bem para minimizar os danos que causamos?

Ótimo.

Boa essa culpa.

Sem ficar se remoendo, vamos refazer e partir para o bem.

Agora, a culpa ruim leva a autopunição e exclusão.

Leva ao distanciamento, solidão e desamor.

Leva a doenças da nossa atualidade que ocasionam a baixa imunidade, o que leva a invasão de agentes ofensivos, agressivos e inoportunos ao nosso espiritual, físico e mental.

Precisamos nos proteger.

Principalmente de nós mesmos.

Curar em nós o que é de todos que somos por pertencermos.

Não há vacina que nos previna de nossos próprios ataques quando não percebermos o que ficou a espera e precisa se completar, ser ressignificado e incluído.

 

 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Márcia Regina Valderamos
Márcia Regina Valderamos Seguir

Sou psicoterapeuta sistêmica, discípula de Olinda Guedes, psicóloga de formação, e, c a Mestra Olinda Guedes, fiz e faço Renascimento, Formação em Constelações Sistêmicas, Master, Florais de Bach, massagem reparentalizadora..

Ler conteúdo completo
Indicados para você